NAMORADO PEDE O BOY EM CASAMENTO AO SOM DE BEYONCÉ

namorado pede ao boy em casamento com um flash mob dentro da academia

Um aviso: Senão for assim o meu pedido de casamento, eu não caso!

Olá ninos e ninas amados.

Você fãs de momentos reais e memoráveis? Então assisti esse pedido de casamento que é de tirar o folego. O boy fez uma apresentação na academia onde ele e o namorado frequentam para pedir ao seu futuro esposo em casamento. E é claro que todos pararam para assistir ou filmar. Não era aula de dança e aconteceu na hora do treino do pessoal, é claro que chamou atenção de todos. Detalhe não foca nos passos do namorado senão você diria não para o pedido de casamento. coitado, de nervoso não conseguiu acompanhar o ritmo dos dançarinos. 

Michael Sinclair conheceu Nico Martina em uma academia na Austrália. Nico tinha em mente realizar um pedido de casamento que fosse marcante para o casal, dessa forma, ele reuniu várias pessoas na academia onde ambos frequentam e se conheceram. Para dançar alguns sucessos da cantora Beyoncé, como “Love on top” (Amor no topo) e “End of time” (Fim do tempo). Com certeza ele deve ter pensando “porque não marcar ainda mais esse relacionamento onde tudo começou” (meu pensamento).

Veja o que Nico Martina fala sobre esse momento:

“Minha primeira ideia era viajarmos para a Itália, de onde sou, num lugar muito romântico. Mas eu não podia pagar, então, a minha segunda ideia era organizar um flashmob com dança… Com ele o sentimento é incrível, o brilho nunca se apagou; só se tornou mais forte e continua a crescer a cada dia. Foi também uma forma de mandar a mensagem de que ‘amor é amor’, não importa a sua sexualidade. Por isso escolhi duas músicas da Beyoncé, Love On Top e End Of Time”.

Como diz na letra de Carol Konga: “Baguncei a divisão, esparramei. Peguei sua opinião, um, dois, pisei. Se der palpitação, não dá nada, conta até três…Já que é pra tombar. Tombei. Bang bang.”

 

Continue Reading

ORGULHO LGBT

dia internacional do orgulho lgbt, orgulho gay, 28 de junho

Olá ninos e ninas.

Hoje a hashtag #OrgulhoGay ou #OrgulhoLGBT tomo conta das redes sociais para promover o Dia Internacional do Orgulho LGBT. Quando se houve o termo orgulho para justificar um sentimento ou atitude, acaba soando como soberba. Algumas questionam a orgulho, até pessoas que são gay mas que preferem uma vida reservada e que não querer levantar sua própria bandeira para não se expô a sociedade. Mas poucos compreendem a expressão orgulho dentro desse contexto como ela realmente é; e nem todos se disponibilizam a saber qual origem e história do dia Internacional do Orgulho LGBT.

dia internacional do orgulho lgbt, orgulho gay, 28 de junho

Vamos de história…

Os homossexuais estadunidenses das décadas de 1950 e 1960 enfrentavam um sistema jurídico anti-homossexuais. Os primeiros grupos homófilos do país tentavam provar que os gays poderiam ser assimilados pela sociedade e apoiavam um sistema educacional não confrontacional para homossexuais e heterossexuais. Os últimos anos da década de 1960, no entanto, foram muito controversos, visto que muitos movimentos sociais estavam ativos ao mesmo tempo, como o movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, a contracultura dos anos 1960 e as manifestações contra a guerra do Vietnã. Estas influências, juntamente com o ambiente liberal da região de Greenwich Village, serviram como catalisadores para as revoltas de Stonewall.

Muito poucos estabelecimentos recebiam pessoas abertamente homossexuais nos anos 1950 e 1960. Aqueles que faziam isto eram, frequentemente, bares, embora os donos e gerentes raramente fossem gays. Na época, o Stonewall Inn era propriedade do grupo mafioso Cosa Nostra Americana. Ele recebia uma grande variedade de clientes e era conhecido por ser popular entre as pessoas mais pobres e marginalizadas da comunidade gay: drag queens, transgêneros, homens efeminados jovens, lésbicas masculinizadas, prostitutos e jovens sem-teto. As batidas policiais em bares gays eram rotina na década de 1960, mas os oficiais rapidamente perderam o controle da situação no Stonewall Inn. Eles atraíram uma multidão que foi incitada à revolta. As tensões entre a polícia de Nova York e os residentes homossexuais de Greenwich Village irromperam em mais protestos na noite seguinte e, novamente, em várias noites posteriores. Dentro de semanas, os moradores do bairro rapidamente organizaram grupos de ativistas para concentrar esforços no estabelecimento de lugares que gays e lésbicas pudessem frequentar sem medo de serem presos.

Depois dos motins de Stonewall, gays e lésbicas em Nova York ainda enfrentaram obstáculos geracionais e de gênero, raça e classe social para se tornar uma comunidade coesa. No período de seis meses, duas organizações ativistas gays foram formadas em Nova York, concentrando-se em táticas de confronto, e três jornais foram estabelecidos para promover os direitos para gays e lésbicas. No período de alguns anos, várias organizações de direitos gays foram fundadas em todos os Estados Unidos e no resto do mundo. Em 28 de junho de 1970, as primeiras marchas do orgulho gay aconteceram em Nova York, Los Angeles, São Francisco e Chicago, em comemoração ao aniversário dos motins. Marchas semelhantes foram organizados em outras cidades. Hoje, os eventos do orgulho LGBT são realizados anualmente em todo o mundo, geralmente no final de junho, para marcar as revoltas de Stonewall. Em 24 de junho de 2016, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama oficializou o palco principal da revolta, o bar Stonewall Inn, como um monumento nacional. 

Fonte: Wikipédia

Então antes de menosprezar e vulgarizar sua própria bandeira (aos gays caseiros) conheça a história da qual você faz parte, do mesmo modo como você também escolheu sua sexualidade. E aos demais respeito e compreensão a vida humana e não somentes a classe e grupos específicos da sociedade.

Comece a entender que matar, marginalizar, espancar um ser humano pela escolha sexual DELE  vai alterar em que a sua vida sexual? 

O movimento hoje nas redes sociais foram tão intensos que até mesmo outras hashtags foram criadas #loveWins; #pride2017; #LGBTpride; #StoneWall; #CaretaParaOsCaretas; e muitos outros. Então faça parte dessa corrente e poste sua foto ou imagem com a hashtag preferida ou todas se quiser. 

Espero que tenho curtido o artigo de hoje e ajuda a divulgar o Blog Fala Ele. Um abraço meus queridos leitores.

 

Continue Reading